Por que as empresas devem se concentrar na felicidade dos funcionários

Por que a felicidade dos funcionários deve ser uma prioridade?


Embora a ideia de liderar uma equipe feliz e otimista pareça ótima, isso é realmente necessário? Contanto que os funcionários estejam fazendo seu trabalho (e, idealmente, não o odeie), tudo bem.



Bem, não, na verdade, em um clima corporativo cada vez mais definido por valores, a felicidade dos funcionários conta muito. A crescente importância da “experiência do cliente” – com seu foco na individualidade, significado e escolha – despertou um novo fenômeno que as empresas devem procurar internamente para satisfazer: a era da “experiência do funcionário”.


Veja por que a felicidade dos funcionários deve ser uma prioridade para todas as empresas – e não uma reflexão tardia.


A importância da felicidade dos funcionários


Não faz muito tempo que ser feliz no trabalho não era grande coisa. Mas vivemos em tempos diferentes. A ligação entre felicidade e produtividade não é nova, mas muitos empregadores ainda subestimam a importância disso no local de trabalho.


Vamos considerar algumas estatísticas:

  • Funcionários felizes permanecem em seus empregos quatro vezes mais do que funcionários infelizes;

  • Funcionários felizes são 12% mais produtivos;

  • Funcionários felizes dedicam o dobro do tempo às suas tarefas;

  • Funcionários felizes têm 65% mais energia do que funcionários infelizes.


Claramente, ter funcionários felizes não é um bônus, é uma necessidade para todo local de trabalho bem-sucedido. Produtividade, motivação, dedicação e retenção dependem disso.

Mas a felicidade dos funcionários não pode ser reduzida apenas a estatísticas e números rápidos, a felicidade tem um efeito tangível em tudo o que fazemos, mesmo que você não perceba, estar infeliz é seriamente prejudicial ao nosso desempenho. Faz com que nos desengajemos, reduzindo nossa capacidade de pensar criticamente ou criativamente.<